Os juízes do Tribunal Regional Federal da 2º região, do Rio de Janeiro, reverteram a decisão sobre o pedido de habeas corpus de Michel Temer e também do Coronel Lima, amigo do antigo presidente brasileiro.

O advogado de Temer já informou que o político está em São Paulo e deverá apresentar-se esta quinta-feira, para voltar à prisão preventiva. 

Temer e Lima estão implicados no processo Lava Jato, que também já condenou Lula da Silva. Os arguidos estão acusados de vários crimes, como corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Recorde-se que o ex-presidente do Brasil já tinha sido detido no dia 21 de março. Na altura, os procuradores do Ministério Público Federal do Brasil afirmaram que o Michel Temer é o líder de uma organização criminosa que atua no país há 40 anos.

Passado quatro dias, a 26 de março, o juiz desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, determinou a libertação do ex-presidente brasileiro. Como justificação, o juiz referiu que era preciso dar "garantias constitucionais" do envolvimento de Temer no caso Lava Jato.

Além de serem antigos, os indícios apresentandos não demonstram que os suspeitos atentem contra a ordem pública, que estariam a ocultar provas ou que estariam a tentar embaraçar uma eventual, até agora inexistente, instrução criminal", explicou na altura.