Os portos de Itália estão fechados para os mais de 300 migrantes resgatados do mar Mediterrâneo pela organização não-governamental Proactiva Open Arms, afirmou hoje o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, depois de Malta ter recusado acolhê-los.

A minha resposta é clara: os portos italianos estão fechados!”, escreveu no Twitter o ministro, líder do partido nacionalista Liga.

Salvini precisou que o pedido de desembarque feito pela ONG foi entregue depois de Malta ter recusado receber os 300 homens, mulheres e crianças a bordo.

A Open Arms resgatou 313 pessoas do mar na sexta-feira à noite ao largo da Líbia.

Dois deles, uma mulher e o seu bebé recém-nascido, foram retirados do navio por um helicóptero da guarda-costeira de Malta para receberem assistência médica.

Estamos com 311 pessoas a bordo, sem porto onde aportar e a necessitar de provisões”, escreveu a ONG também no Twitter.

A Open Arms colocou um vídeo na rede social para mostrar que os migrantes foram socorridos para os salvar “de uma morte certa no mar”: “Se pudessem sentir o frio, seria mais fácil compreenderem a urgência. Nenhum porto onde desembarcar e a recusa em nos dar alimentos. Isto não é Natal”.

Uma outra ONG, a Sea Watch, anunciou ter socorrido 33 migrantes do mar e lançou um apelo para os desembarcar num porto.