Sete embarcações com 298 migrantes, dos quais 26 crianças, foram resgatadas este fim de semana junto às ilhas Canárias, sendo que mais de dez pessoas foram transportadas para centros de saúde para receber assistência médica.

Tenerife, Lanzarote, Gran Canária, Fuerteventura e El Hierro são as cinco ilhas canárias que desde sábado têm acolhido migrantes que tentam chegar à Europa, segundo informações avançadas hoje pela agência de notícias espanhola EFE.

O primeiro barco, com 39 passageiros, foi avistado por um navio mercante e desembarcou ao amanhecer de sábado no porto de La Restinga, na ilha de El Hierro.

Entre os migrantes, de origem subsaariana, estavam doze mulheres e pelo menos uma criança.

Os migrantes foram avistados a mais de 100 quilómetros a sudeste de El Hierro.

Entretanto, por volta da meia-noite, o navio Guardamar Concepción Arenal chegou a Puerto del Rosário, em Fuerteventura, com 57 imigrantes que tinham sido foram localizados a sul da ilha por um avião da Força Aérea.

Estes 37 homens, 15 mulheres e cinco crianças estavam à deriva num insuflável, mas encontravam-se bem de saúde, refere a EFE.

Já em terra, revelaram aos agentes de saúde e aos membros das forças de segurança que tinham saído da costa de El Aaiún, no Sahara, na véspera, por volta das quatro da manhã.

Enquanto decorriam esses dois resgates de longa distância, era avistada uma outra embarcação a alguns quilómetros ao sul de Tenerife. A bordo seguiam 59 pessoas de origem subsaariana, que foram resgatadas por um barco-patrulha da Guarda Civil.

O grupo era composto por 33 mulheres, 19 homens e sete crianças, uma dos quais teve de ser transportada para um hospital em Tenerife devido ao seu estado de saúde, considerado grave.

A partir das 22:00, foram detetados mais três barcos: dois em Gran Canaria e um em Fuerteventura.

O de Fuerteventura era um pneumático com 34 pessoas que se encontrava relativamente próximo ao porto de Gran Tarajal.

O pneumático transportava 29 homens do Magrebe, quatro mulheres subsaarianas e uma criança subsaariana, que estavam a navegar há cerca de 21 horas, segundo relatos dos próprios, que tinham saído de Tarfaya, em Marrocos.

Entretanto, a sul de Gran Canaria foram detetadas outras duas embarcações, uma das quais estava tão perto da costa que chegou sem ajuda à ilha.

Segundo informações da Cruz Vermelha avançadas pela EFE, nesta embarcação seguiam 18 jovens magrebinos que conseguiram desembarcar na praia de Maspalomas, a poucos metros do farol, em plena zona turística.

A segunda embarcação foi encontrada mais a sul com 65 ocupantes: 19 homens, 34 mulheres e 12 crianças, todos de origem subsaariana, que atracaram no porto de Arguineguín.

Das 83 pessoas que chegaram a Gran Canaria nas últimas horas, dez foram evacuadas para centros de saúde para receber assistência médica.

Já hoje de manhã, o Centro de Resgate Marítimo de Las Palmas foi informado da presença de um barco vindo de Órzola. Entretanto, outros 26 homens do Magrebe tentavam desembarcar em Arrecife por volta das 9:00, acrescenta a EFE.

/ CM