Um jovem casal da Argélia pensava ter perdido os seus anéis de noivado para sempre, depois de um trágico acidente no mar mediterrâneo, onde a pequena embarcação em que seguiam ter virado em mar alto. Nessa noite de outubro, cinco das 20 pessoas a bordo acabariam por morrer, incluindo uma menina com menos de dez anos. Ahmed e Doudou sobreviveram, salvos por um pescador, mas como muitos dos sobreviventes, o casal ainda se encontra em profundo estado de choque.

Em declarações à CNN, Ahmad Al Rousan, o mediador cultural dos Médicos Sem Fronteiras em Itália, revelou que os passageiros do baco "estiveram à deriva no mar durante 48 horas", sublinhando que que todos os tripulantes "acabaram por cair ao mar"

Várias semanas depois, a 9 de novembro, a embarcação da ONG Open Arms encontrou os destroços de um barco à deriva no mar. No que restava da embarcação, foi encontrada uma mochila vermelha. No seu interior estava um par de t-shirts, um par de meias, um carregador de telemóvel e dois anéis de noivado com os nomes “Ahmed e Doudou”.

“O nosso primeiro instinto foi de que as alianças pertenciam a alguém que tinha morrido ou ficado perdido durante a viagem”, contou Riccardo Gatti, presidente da Open Arms Itália, à estação de televisão norte-americana.

Sempre que as ONGs encontram pertences pessoais em alto mar, sabem que a probabilidade de os retornarem aos seus donos são praticamente nulas. Ainda assim, membros da Open Arms insistiram em partilhar fotografias da mochila vermelha e do seu conteúdo nas redes sociais.

Quando foi contactado pela Open Arms, Al Rousan admitiu que o seu primeiro instinto foi de que “era impossível encontrar os donos”. No entanto, as fotos acabaram por chegar às mãos de pessoas que estiveram no mesmo barco que o casal, que prontamente identificaram Ahmed e Doudou.

“Falei diretamente com o Ahmed e começou a dizer-me o que estava dentro da mochila, porque a foto que lhe enviei tinha apenas a mochila e algumas coisas no convés. Não mostrava o que estava no seu interior”, contou Al Rousan. "Ele disse-me que estava muito feliz ao ver a foto e que estava muito emocionado por ter de volta os seus anéis, mas ainda está em choque e revelou que: 'Eu fico a pensar nas cinco pessoas que perderam a vida à nossa frente."

Riccardo Gatti garante que agora os pertences de Ahmed serão devolvidos assim que a quarentena de Covid-19 terminar.