Uma criança de oito anos da Guatemala morreu sob custódia do Governo dos Estados Unidos, sendo esta a segunda morte de uma criança migrante, nas mesmas condições de guarda, no espaço de um mês.

O rapaz morreu hoje pouco depois das 00:00, na noite de Natal, disseram à Associated Press as autoridades de vigilância de fronteiras norte-americanas, a Customs and Border Protection (CBP).

A criança mostrou “sinais potenciais de doença” na segunda-feira e foi levada, juntamente com o pai, a um hospital em Alamogordo, no Estado do Novo México, onde lhe foi diagnosticada uma gripe e febre, sendo-lhe receitado amoxicilina e ibuprofeno.

O menino voltou ao hospital à noite com náuseas e vómitos e morreu quatro horas depois, acrescentou a CBP.

A 08 de dezembro uma menina de sete, também de nacionalidade guatemalteca, morreu de desidratação, dois dias depois de juntamente com a sua família ter atravessado ilegalmente a fronteira do México para os Estados Unidos.

O corpo da criança, Jakelin Caal, foi devolvido à remota aldeia da sua família na segunda-feira.

Governo da Guatemala pede investigação "clara"

O governo da Guatemala pediu uma investigação “clara” sobre a morte de um segundo menor guatemalteco em menos de um mês sob custódia das autoridades de fronteira dos Estados Unidos.

Num comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Guatemala disse que agentes da vigilância da fronteira “informaram do lamentável falecimento de um menor de origem guatemalteca”, de oito anos, em Alamogordo, Novo México.

A causa da morte “está em investigação”, diz-se no comunicado, no qual se diz também que o governo já pediu uma resposta acerca da morte a 08 de dezembro da menor Jakelin Caal Maquín, que morreu em circunstâncias idênticas à do menor de hoje, 48 horas após ter sido detida com o pai na fronteira com os Estados Unidos.