A guarda costeira italiana anunciou, este sábado, que se juntou no Mediterrâneo ao navio fretado pelo artista britânico Banksy e recolheu 49 migrantes "mais frágeis", que estavam a bordo.

Tendo em vista que se tratava de uma situação perigosa, a guarda costeira enviou de Lampedusa para o local um barco-patrulha no qual embarcaram 49 pessoas consideradas mais frágeis, incluindo 32 mulheres, 13 crianças e quatro homens", indicaram as autoridades em comunicado.

A guarda costeira explicou que, após informar o centro de coordenação de resgates de Malta e as autoridades alemãs, decidiu intervir antes "do agravamento das condições meteorológicas na área".

O navio "Louise Michel", fretado por Banksy, recolheu no mar um total de 219 migrantes e durante a madrugada tinha pedido ajuda imediata, alertando que havia pelo menos um morto a bordo e que se encontrava numa situação desesperada.

Na sexta-feira, o navio, de bandeira alemã, resgatou 130 migrantes à deriva num barco pneumático, escreveram na rede social Twitter os organizadores da missão.

Depois de um primeiro resgate na quinta-feira, o navio agora tem 219 migrantes a bordo, contando apenas com dez tripulantes, adiantaram.

Precisamos de ajuda imediata", afirmaram, exortando a União Europeia (UE) e as autoridades italianas a agirem.

Já há um morto no barco. Os outros apresentam queimaduras de combustível, estão no mar há dias e agora foram deixados por sua conta numa área de busca e salvamento da UE", acrescentaram.

/ Publicado por MM