“O chanceler austríaco parece não ver a diferença entre solidariedade e estupidez”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros húngaro, Peter Szijjarto.