Onze dos 22 mineiros que ficaram presos em uma mina de ouro por mais de duas semanas no leste da China foram encontrados e aguardam agora o resgate, anunciou a comunicação social local, num momento em que dez trabalhadores já foram encontrados sem vida.

As autoridades estão numa corrida contra o tempo para desenterrar as 22 pessoas do subsolo na cidade de Qixia, na província de Shandong. Os mineiros ficaram presos após uma explosão ter bloqueado a sua saída no dia 10 de janeiro.

O primeiro mineiro foi resgatado durante a manhã de domingo em condição "extremamente fraca", de acordo com a agência de notícias estatal Xinhua. A emissora CCTV disse ainda que o sobrevivente foi enviado para o hospital. 

As operações estão em andamento para alcançar os trabalhadores presos a cerca de 240 metros da entrada da mina, mas as autoridades chinesas avisam que pode levar 15 dias para perfurar as cerca de 70 toneladas de destroços que impedem a fuga dos mineiros.


Alimentos, medicamentos e cobertores foram passados ​​através de um poço aos 10 trabalhadores que,segundo a autarquia, estão em boas condições físicas e psicológicas.

Segundo Chen Fei, autarca local, um total de dez mineiros foram encontrados mortos entre os dias 21 e 22 de janeiro. As equipas de resgate procuram ainda por mais uma vítima, entre o grupo de 22 pessoas. A preocupação tem aumentado para este mineiro. Alguns dos trabalhadores estão a tentar ajudar as equipes de resgate a localizar o colega desaparecido, usando ponteiros de laser e altifalantes, mas não obtiveram resposta.

Explosões e mortes não são pouco comuns nas minas chinesas. Em setembro, pelo menos 16 trabalhadores no sudoeste da China morreram depois de terem ficado presos dentro de uma mina de carvão e expostos a níveis de risco de monóxido de carbono.

As autoridades chinesas anunciaram ainda ter detido os responsáveis pela mina de ouro. Segundo a agência de notícias chinesa Xinhua, os responsáveis levaram mais de 24 horas a informar as autoridades sobre o acidente, violando o tempo máximo de notificação, de uma hora.

A mina pertence à empresa local Shandong Wucailong Investment.

A China é o maior produtor mundial de ouro, com 11% do total mundial extraído em 2019, segundo o Conselho Mundial do Ouro.

O país contava com mais de três mil minas de ouro em 2016, de acordo com um estudo dos serviços geológicos chineses.