O eurodeputado português Pedro Marques foi hoje eleito vice-presidente do grupo dos Socialistas e Democratas (S&D) no Parlamento Europeu, numa eleição por voto secreto realizada durante uma reunião desta família política, a segunda maior da assembleia.

Pedro Marques, antigo ministro do Planeamento e Infraestruturas, concorrera em 27 de novembro ao cargo deixado vago pela maltesa Miriam Dalli, que abandonou o Parlamento Europeu em outubro, para assumir funções no parlamento maltês.

Já tive a oportunidade de agradecer aos meus camaradas do grupo S&D a confiança que depositaram em mim. Esta eleição é, evidentemente, importante para mim e para delegação do PS no Parlamento Europeu. É mais uma demonstração do trabalho que aqui desenvolvemos. Pela minha parte garantirei, como sempre, um trabalho constante e sem qualquer esmorecimento, que contribua para uma cada vez maior influência das políticas S&D no Parlamento Europeu”, afirmou, numa declaração à agência Lusa.

Pedro Marques, 44 anos, foi o cabeça-de-lista do PS às eleições europeias de 2019, nas quais foi eleito para o Parlamento Europeu, tendo sido também nesse ano um dos dois nomes propostos pelo Governo à presidente da Comissão Europeia para integrar o executivo comunitário, com a escolha final a recair em Elisa Ferreira, atualmente comissária europeia da Coesão e Reformas.

O gabinete do grupo dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu é formado por um presidente (atualmente a espanhola Iratxe García, a líder da bancada) e nove vice-presidentes.

O S&D é a segunda maior bancada do Parlamento Europeu, a seguir ao Partido Popular Europeu (PPE).

/ HCL