O Presidente russo, Vladimir Putin, considerou “contraproducente e perigoso” o lançamento de um míssil, no domingo, pela Coreia do Norte, mas pediu que se deixe “de intimidar” Pyongyang e se privilegie uma solução pacífica.

Somos categoricamente contra o alargamento do clube das potências nucleares, incluindo à Coreia do Norte […] Somos contra e consideramos [o lançamento] contraproducente, nocivo e perigoso”, afirmou Putin numa conferência de imprensa em Pequim.

Mas, prosseguiu o Presidente russo, “há que deixar de intimidar a Coreia do Norte e encontrar uma solução pacífica para resolver o problema”.

A Coreia do Norte disparou um novo míssil balístico no domingo. Segundo a agência de notícias estatal KCNA, trata-se de "um novo modelo de míssil balístico estratégico de médio e longo alcance, o Hwasong-12".

O míssil, disparado pelas 05:30 locais (21:30 de sábado em Lisboa), atingiu uma altitude de 2.111 quilómetros, percorreu cerca de 700 quilómetros e caiu no Mar do Japão.

Já esta segunda-feira surgiu um vídeo que mostra o presidente russo, no domingo, em Pequim, a ensaiar alguns acordes no piano enquanto aguardava pelo início do acordo bilateral com o líder chinês Xi Jinping.