O ministro dos Negócios Estrangeiros comentou esta quinta-feira a decisão do Reino Unido de retirar Portugal da lista dos países com os quais mantém restrições aéreas, sublinhando o "o intenso trabalho bilateral realizado, quer ao  nível político,  quer  ao  nível técnico".

Segundo o comunicado do Ministério, a decisão entra em  vigor  às  4h00  do  próximo  sábado,  dia  22  de  agosto.

Isto  significa  que  a partir desta data todas as viagens para Portugal são consideradas seguras pelo Governo britânico e nenhuma pessoa, chegando ao Reino Unido proveniente de Portugal, ficará sujeita à obrigação de um período de quarentena", destaca o ministro Santos Silva.

O ministro Santos Silva sublinha ainda a importância desta decisão que "permitirá repor a habitual mobilidade de pessoas entre Portugal e o Reino Unido, qualquer que seja o motivo das deslocações".

É, de facto, uma medida de particular relevância para os mais de 300 mil portugueses que residem no Reino Unido, bem como para os mais de 30 mil britânicos que escolheram Portugal para viver, bem como para as muitas centenas de estudantes portugueses em universidades britânicas e trabalhadores e quadros profissionais que têm de se deslocar regularmente entre os dois países", afirma em comunicado.

O Reino Unido junta-se à Polónia, à Grécia, à República Checa, à Hungria, a Malta, à Roménia, à Bélgica, aos Países Baixos, à Dinamarca e ao Chipre no levantamento de restrições à mobilidade de passageiros oriundos de Portugal.

A decisão das autoridades britânicas considerarem seguras todas as deslocações a qualquer parte do território português é, em si, "o reconhecimento da evolução positiva da situação em Portugal", tal como a capacidade do país para testar em larga escala, detetar os casos positivos, controlar a sua transmissão e tratá-los da forma mais adequada.

Constitui também a evidência da capacidade de resposta do nosso Serviço Nacional de Saúde, que em nenhum momento deixou de garantir acompanhamento às pessoas infetadas com covid-19", diz Santos Silva.

O Governo britânico incluiu Portugal na lista dos países com “corredores de viagem” para Inglaterra cujos passageiros ficam isentos de cumprir uma quarentena de duas semanas imposta devido à pandemia de covid-19.

Os dados também mostram que agora podemos adicionar Portugal aos países INCLUÍDOS nos corredores de viagens”, disse o ministro dos Transportes, Grant Shapps, através da rede social Twitter.

É "boa notícia" fim de quarentena à chegada ao Reino Unido

A Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) classificou como “boas notícias” o levantamento pelo Reino Unido da quarentena imposta a viajantes procedentes de Portugal devido à pandemia de covid-19 e lamentou só ter acontecido tarde.

São boas notícias, penso que a medida peca apenas por tardia e lamentamos que a situação do levantamento destas restrições não tenha sido efetuada no início do mês de junho de modo a evitar um impacto tão negativo como tivemos nos meses de julho e agosto, que são os meses por excelência do turismo no Algarve”, afirmou à agência Lusa o presidente da AHETA, Elidérico Viegas.

O dirigente da associação empresarial algarvia reagiu assim à decisão anunciada pelo governo britânico e que incluiu Portugal na lista dos países com “corredores de viagem” para Inglaterra cujos passageiros ficam isentos de cumprir uma quarentena de duas semanas imposta devido à pandemia covid-19 e salientou que a decisão, na segunda quinzena de agosto, pode ter é maior reflexo na época de golfe na região, que começa em setembro.

Agências de turismo britânicas dizem que entrada de Portugal para corredores chega a tempo

 Agências de viagens britânicas disseram que a entrada de Portugal para a lista de ‘corredores' que isenta as pessoas de quarentena à chegada ao Reino Unido imposta devido à pandemia de covid-19 é “bem-vinda” e ainda chega a tempo. 

Portugal é um destino popular entre os turistas britânicos e um lugar onde o clima costuma ser agradável até tarde no inverno. A notícia de que os turistas ainda podem desfrutar de uma merecida pausa neste país será bem-vinda pelos viajantes e também pela indústria de viagens”, disse à agência Lusa uma porta-voz da Associação de Viagens do Reino Unido (ABTA). 

Para a Associação de Agências de Viagens Independentes (AITO), a decisão do governo britânico é lógica até porque Portugal “resolveu os seus surtos regionais (principalmente em áreas não turísticas ao redor de Lisboa), sem dúvida melhor do que nós lidamos com os nossos no Reino Unido (perto de Leicester, Manchester e Birmingham).

Inclusão de Portugal nos corredores de viagem britânicos “peca por tardia”

A inclusão de Portugal nos corredores aéreos britânicos, hoje anunciada, “é muito positiva”, mas “peca por tardia”, referiu a Confederação do Turismo de Portugal (CTP), em comunicado.

É obviamente uma boa notícia para o turismo, na medida em que o Reino Unido é o nosso principal destino emissor. Só peca por tardia, porque infelizmente os efeitos fizeram-se sentir com grande intensidade”, afirmou o presidente da CTP, Francisco Calheiros, citado na mesma nota.

A CTP destacou que “Portugal tem demonstrado capacidade para lidar com a pandemia desde o seu início e tem vindo a descer em vários indicadores - menos internamentos, menos óbitos diários, menos casos ativos desde o início da pandemia – com uma boa resposta dos serviços de saúde”.

Henrique Magalhães Claudino / Atualizada com Lusa às 19:36