Um empresário moçambicano foi raptado ao princípio da noite de quarta-feira no centro de Maputo e continua desaparecido, disse hoje à Lusa o porta-voz da polícia na capital, Leonel Muchine.

A mesma fonte adiantou que a polícia recebeu uma denúncia sobre o rapto de um empresário com pouco mais de 60 anos protagonizado por três homens armados com AK-47, à saída do seu estabelecimento no centro de Maputo.

"Para intimidar a vítima e as pessoas que estavam perto, os raptores efetuaram disparos para o ar e forçaram a vítima a entrar na viatura em que seguiam, um Toyota", declarou Leonel Muchine.

O porta-voz da polícia moçambicana na cidade de Maputo afirmou que o "caso está a ser investigado com muita seriedade e que todas as linhas operativas foram abertas".

Órgãos de comunicação social em Maputo adiantam que o empresário é proprietário de uma conhecida loja de venda de vinhos da capital, mas a polícia declinou confirmar esse facto, "para salvaguardar as investigações".

As principais cidades moçambicanas foram palco de uma onda de raptos a partir de 2012, mas esse tipo de crimes quase que desapareceu nos últimos meses, aparentemente devido a uma série de detenções e condenações de pessoas envolvidas nesses delitos.