A vacina para combater a pandemia de Covid-19 que está a ser desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Moderna, e que já foi testada em humanos, começou a obter resultados positivos e esperançosos. Os voluntários que receberam a vacina desenvolveram anticorpos contra o novo coronavírus.

Estes resultados integram a Fase 1 dos ensaios clínicos. Se os próximos correrem igualmente bem, esta vacina poderá estar disponível ao público em janeiro do próximo ano.

São absolutamente boas notícias e que já eram aguardadas por muitos há muito tempo", disse à CNN Dr. Tal Zaks, diretor médico da Moderna.

O objetivo destes ensaios clínicos é perceber, através de um número reduzido de pessoas, neste caso 45 com idades compreendidas entre os 18 e os 70 anos, se a vacina é segura, quais os efeitos secundários e se é eficaz em termos de imunidade contra a SARS-CoV-2.

Oito destes voluntários desenvolveram anticorpos neutralizantes consideravelmente acima das pessoas que ficaram curadas e, como tal, capazes de bloquear o vírus e impedir que este ataque células humanas. No entanto, a imunidade não está, por agora, garantida.

A Fase 2 dos ensaios clínicos envolve o teste em centenas de pessoas e a Fase 3 já engloba milhares. Todavia, está a ser ponderada a hipótese de se avançar já em julho para a última fase, uma vez que estão a morrer milhares de pessoas todos os dias.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a Moderna integra o grupo de oito empresas - três norte-americanas, uma inglesa e quatro chinesas - que estão a desenvolver vacinas de combate à pandemia de Covid-19.

Cláudia Évora