Mais do que uma situação para ir às lágrimas, viveram-se momentos críticos no parlamento do Kosovo, esta quarta-feira, um antigo território da extinta Jugoslávia, quando deputados do minoritário Levizja Vetvendosje lançaram gás lacrimogénio contra os colegas para evitar a votação de uma lei que contestam.

Nas imagens captadas da sessão é possível ver oito indivíduos, deputados, ao que tudo indica, de máscaras colocadas, antes de arremessarem as grandas de gás lacrimogéneo.

Em causa está a ratificação das fronteiras com o vizinho Montenegro, aprovadas em 2015, que, segundo os oposicionistas do Movimento pela Auto-determinação (Levizja Vetvendosje) retira uns 77 quilómetros quadrados ao território da sua república.

Além do momento em que deputados do Movimento lançaram as granadas de gás, jornalistas no local registaram também a fuga dos parlamentares pelos passos perdidos, numa tentativa de escapar ao fumo.

Apesar da tentativa de impedir a votação, a maioria parlamentar afirmou que a ratificação das fronteiras será mesmo assumida.

O Acordo de Demarcação da Fronteira será aprovado hoje pelo parlamento, apesar das tentativas de um pequeno partido da oposição de impedir o voto com meios violentos. Não vamos ceder à violência e ao populismo. Esta aprovação servirá para reforçar a soberania do nosso país e desbloqueará o nosso caminho para a integração europeia", afirmou o deputado Kadri Veseli à cadeia de televisão norte-americana CNN.

Para a maioria parlamentar, a ratificação das fronteiras negociadas com o Montenegro é vista como uma das condições necessárias para que sejam liberalizados os vistos de entrada na União Europeia para os cidadãos do Kosovo, um dos seis países dos Balcãs que deseja a integração europeia.