Uma mulher de 26 anos e residente na cidade de Patiala, na Índia, foi dada como morta pela família, mas chocou os familiares quando regressou a casa quatro dias depois de ter sido realizado o seu funeral.

Naina Rani estava desaparecida desde o dia 8 dezembro. Os pais da jovem alertaram as autoridades do sucedido e, alguns dias depois, numa propriedade de um residente local, foi descoberto um corpo de uma mulher de aproximadamente 20 anos, dentro de um saco. 

De acordo com o Hindustan Times, os pais e o marido de Naina foram incapazes de confirmar que o corpo pertencia à filha, dado que o rosto estava desfigurado e o pescoço apresentava sinais de estrangulamento. No entanto, chegaram à conclusão de que poderia ser mesmo o corpo da jovem após terem visto as jóias que costumava utilizar junto ao cadáver. Após a identificação dos restos mortais, os pais de Naina realizaram o funeral, seguido da cremação do corpo, no dia 15 de dezembro.

A polícia suspeitava que a jovem tinha sido morta por um amante, com o qual tinha fugido. No entanto, as suspeitas das autoridades foram esquecidas no momento em que Naina regressou, a casa quatro dias depois do seu funeral. A mulher aparentava estar de boa saúde e não apresentava sinais de maus tratos.

Após a descoberta de que a jovem estava afinal viva, a polícia voltou a abrir uma investigação para determinar a identidade do corpo que foi cremado. Antes da família da jovem "identificar" o corpo, as autoridades retiraram amostras do ADN e impressões digitais. No entanto, não confirmaram a identidade do cadáver. Algo que irão tentar realizar agora.

A polícia enviou fotografias dos restos mortais encontrados para todas as delegacias da cidade de Patiala e está também a elaborar uma lista de todas as mulheres que desapareceram na região, recentemente, de forma a identificar o corpo o mais rápido possível.