Nunca se falou muito sobre a hipótese de se ficar duplamente infetado com covid-19, mas aconteceu na Bélgica e os especialistas já alertaram que existe essa possibilidade, ainda que rara. 

Uma mulher, com 90 anos, morreu após ter sido infetada com duas variantes em simultâneo: a Alpha, detetada pela primeira vez no Reino Unido, e a Beta, detetada na África do Sul. 

De acordo com a BBC, os médicos acreditam que a idosa, que ainda não tinha sido vacinada, foi infetada por duas pessoas diferentes. Quando foi internada, o principal sintoma era a dificuldade respiratória, que foi piorando com o tempo. 

Os profissionais de saúde que acompanharam este caso dizem não saber como é que esta mulher ficou infetada, uma vez que vivia sozinha. No entanto, suspeitam dos vários cuidadores que a visitaram.

Mas este caso não é caso único. Em janeiro deste ano, um grupo de cientistas no Brasil já tinha dado conta de pelo menos dois casos de pessoas duplamente infetadas. Também em Portugal há registo de uma jovem de 17 anos que ficou infetado com uma outra variante, enquanto ainda recuperava da primeira infeção. 

Atualmente, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, as variantes que despertam mais preocupação a nível mundial são: Alpha (Reino Unido), Beta (África do Sul), Delta (Índia) e a Gamma (Brasil).

Todas elas estão presentes em Portugal e apresentam transmissão comunitária, ou seja, quando se verifica a ocorrência de casos em que não é possível rastrear a origem da infeção

Cláudia Évora