O primeiro fotógrafo da equipa da revista Rolling Stone, Baron Wolman, morreu na segunda-feira com 83 anos, informou na quarta-feira a Rádio Pública Nacional (NPR) dos Estados Unidos.

Wolman, que refletiu a cultura do 'rock' com imagens de Jimi Hendrix ou Grace Slick, morreu após uma longa batalha contra a esclerose lateral amiotrófica.

Wolman começou a trabalhar como fotojornalista em São Francisco na década de 1960, pouco antes de cumprir 30 anos e depois de passar um tempo em Berlim, onde fez a cobertura da construção do Muro de Berlim.

Amante da música, tornou-se no primeiro fotógrafo da Rolling Stone em 1967, onde trabalhou até 1970, três anos em que foi autor de praticamente todas as fotos da publicação.

Inicialmente, Wolman trabalhou de graça em troca de manter os direitos autorais das suas fotografias.

O fundador da Rolling Stone, Jann Wenner, descreveu o fotógrafo na introdução de autobiografia como um dos "heróis não celebrados" do estágio inicial de publicação, porque ajudou o "estilo visual da revista e lançou as bases para os sucessores".

Wolman era conhecido pela sinceridade das fotografias, que refletiam o espírito da pessoa retratada sem a necessidade de posar para a foto.

Os especialistas consideraram que Baron Wolman capturou algumas das imagens mais intensas de Hendrix em palco, especialmente nos espetáculos no Filmore West em 1968 e no festival de Woodstock.

A memória coletiva daquele festival icónico, aliás, tem origem nas imagens de Wolman, que fotografou um pouco de tudo, espetáculos e bastidores, ou o que acontecia entre a multidão que compareceu ao evento.

/ CE