O cientista japonês Isamu Akasaki morreu esta sexta-feira aos 92 anos. Galardoado em 2015 com o Prémio Nobel da Física, é considerado o pai do diodo emissor de luz (LED).

Nascido em Minamikyushu, no sudoeste do Japão, formou-se em engenharia eletrónica, tendo passado pela Universidade de Nagoya, onde esteve grande parte da carreira como professor e investigador.

Segundo os meios de comunicação japoneses, Isamu Akasaki morreu por complicações de uma pneumonia, razão pela qual estava internado no hospital de Nagoya.

Os resultados da sua investigação possibilitar a criação de LED com cores como roxo, verde ou azul, o que levou a uma aplicação mais prática destes diodos que hoje em dia são aplicados em vários locais e materiais, como as televisões.

Pelo trabalho com as lâmpadas LED foram também galardoados Hiroshi Amano y Shuji Nakamura.

António Guimarães