Uma norte-americana da região de Dallas morreu de covid-19 num avião, anunciou um responsável local. 

Segundo a CNN, que cita fonte do condado de Dallas, a mulher, na casa dos 30 anos, tinha outras doenças que a colocavam no grupo de risco para covid-19 e morreu no final do passado mês de julho na pista de um aeroporto do Novo México. A morte da doente só agora foi anunciada pelas autoridades.

Por razões de privacidade, não foram revelados mais pormenores sobre as circunstâncias da morte. Nos Estados Unidos, já morreram mais de 220 mil pessoas vítimas do novo coronavírus. 

Um estudo da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA, em inglês) divulgado no início de outubro revelou que foram identificados apenas 44 casos de covid-19 no mundo nos quais a transmissão pode estar associada a viagens de avião.

Segundo a IATA, os dados recolhidos demonstraram a baixa incidência de transmissão de covid-19 a bordo de um avião, com um número de contaminações equivalente a um caso em cada 27 milhões de viajantes.

A associação reconhece, no entanto, que pode estar a subestimar os valores reais, mas aponta que, mesmo que 90% dos casos de covid-19 associados a uma viagem de avião não fossem reportados, isso representaria um caso para cada 2,7 milhões de viajantes.

Bárbara Cruz