Quatro marroquinos morreram na quarta-feira a tentar chegar ao enclave espanhol de Melilla através de um esgoto desde o porto vizinho de Beni Ensar (norte), anunciaram esta quinta-feira as autoridades locais.

Após uma denúncia, os serviços de emergência encontraram três pessoas afogadas na rede de esgotos, tendo recuperado um jovem ainda vivo, mas que acabou por morrer no hospital, adiantaram as mesmas fontes.

Segundo alguns meios de comunicação locais, os quatro homens tinham entre 20 e 30 anos.

As autoridades marroquinas abriram uma investigação sobre as circunstâncias da tragédia.

Esta não é a primeira tentativa de passagem clandestina por esse esgoto, de acordo com fonte de segurança, que falou em nome das autoridades locais.

Os dois enclaves espanhóis de Melilla e Ceuta têm as únicas fronteiras terrestres entre África e Europa e são extremamente vigiados para evitar qualquer tentativa de cruzar as barreiras que os separam do Marrocos.

A travessia de fronteira está fechada desde março, devido à pandemia do coronavírus, o que deixou em crise as regiões vizinhas em Marrocos que vivem do comércio transfronteiriço.

As chegadas de migrantes às costas espanholas caíram globalmente para metade nos primeiros oito meses de 2020 devido aos esforços do Governo espanhol para desencorajar o tráfico de pessoas.

Os argelinos representam atualmente dois terços das chegadas a Espanha, à frente de marroquinos e subsaarianos, de acordo com a agência europeia Frontex.

/ CE