Um cidadão norte-americano acabou por morrer dias depois de um incidente com a polícia, onde um dos agentes se ajoelhou sobre o seu pescoço, durante mais de cinco de minutos, durante um surto psicótico. O episódio, semelhante ao mediático caso de George Floyd, volta a levantar questões sobre os métodos empregues pela polícia para imobilizar indivíduos.

A família de Angelo Quinto ligou para o 911 (o equivalente americano ao 112) porque o veterano da Marinha norte-americano estava a sofrer um surto psicótico. O jovem, de 30 anos, que de acordo com o advogado da família sofria de “ansiedade, depressão e paranoia”, acabou por ser imobilizado pela polícia com o joelho em cima do pescoço.

De acordo com a queixa, divulgada pela imprensa norte-americana, chegada ao local a polícia não fez “qualquer tentativa para perceber a situação e, em vez disso, agarraram imediatamente o Quinto” e começaram a manobra que levou o veterano a perder a consciência.

Foi transportando para o local, acabando por morrer três dias depois.

Estes agentes da polícia de Antioch já tinham algemado Angelo, mas não pararam de atacar o jovem e, inexplicavelmente, começaram a usar a ‘técnica George Floyd’ de colocar um joelho nas costas e na parte lateral do seu pescoço, ignorando os apelos da vítima para que não a matassem”, afirmou o advogado da família em conferência de imprensa.

As causas da morte ainda não são conhecidas. A investigação está agora a cargo do Ministério Público.

Redação