O Brasil registou esta sexta-feira o recorde trágico de 3.650 vidas perdidas devido à covid-19 em 24 horas, totalizando 307.112 óbitos desde o início da pandemia, segundo dados do Ministério da Saúde.

Na última terça-feira, o Brasil ultrapassou, pela primeira vez, as três mil vítimas mortais (3.251), marca que foi hoje superada, 13 meses após o primeiro caso do novo coronavírus ter sido registado em solo brasileiro.

O Brasil, que atravessa o seu momento mais critico da pandemia, foi hoje, tal como tem ocorrido nas últimas semanas, o país que mais vítimas mortais somou nas últimas 24 horas em todo o mundo, bem acima dos Estados Unidos.

Em relação ao número de infetados, o total subiu hoje para 12.404.414, após as autoridades de saúde terem contabilizado 84.245 diagnósticos positivos, de acordo com o último boletim epidemiológico da pasta da Saúde.

Contudo, os números totais podem ser ainda superiores, uma vez que o Estado do Ceará não inseriu os seus dados de hoje devido a problemas técnicos.

A taxa de incidência da doença no país é agora de 146 mortes e 5.903 casos por 100 mil habitantes, numa nação com uma população estimada em 212 milhões de habitantes.

São Paulo, foco da pandemia no Brasil, registou hoje um novo recorde de mortes, chegando às 1.193 vítimas mortais em apenas 24 horas, além de 21.489 novos casos.

Há três dias, aquela que é a unidade federativa mais rica e populosa do país, havia ultrapassado, pela primeira vez, os mil óbitos num só dia (1.021).

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.756.395 mortos no mundo, resultantes de mais de 125,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

/ RL