A Itália registou 353 óbitos associados à doença covid-19 nas últimas 24 horas, o maior número diário de vítimas mortais desde o início de maio, divulgou hoje o Ministério da Saúde italiano.

Com a contabilização destas novas vítimas mortais, o número total de mortes registadas no país desde fevereiro sobe para 39.412.

Numa altura em que o Governo italiano prepara um recolher obrigatório noturno a nível nacional e novas restrições, o país contabilizou 28.244 novos contágios pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, um valor que se mantém elevado, mas que fica abaixo dos 31 mil casos diários verificados na semana passada.

Em termos totais, e desde o início da crise da doença covid-19 no país, em 21 de fevereiro, Itália contabiliza, até à data, 759.829 casos de pessoas que ficaram infetadas pelo novo coronavírus, segundo os dados fornecidos pelas autoridades italianas.

Os dados atualizados das autoridades indicam também que foram efetuados no último dia cerca de 182.000 testes de diagnóstico, menos em comparação aos cerca de 200 mil que foram realizados na semana anterior.

A pressão sobre os hospitais italianos continua a aumentar: dos atuais 418.142 casos ativos de covid-19 no país, mais de 23.000 estão hospitalizados (um aumento de 1.477 face ao dia anterior) e 2.225 são doentes que estão em unidades de cuidados intensivos (mais 203 em comparação ao dia anterior).

A região italiana com mais casos continua a ser a Lombardia (norte), tendo registado 6.804 novos casos nas últimas 24 horas, grande parte na capital da região, Milão.

Perante estes indicadores, o Governo italiano está a ultimar um novo decreto com restrições para tentar travar a progressão da pandemia, estando agendada ainda para hoje uma reunião virtual com os governadores das várias regiões italianas para debater e ultimar pormenores.

É expectável que o decreto, que estará em vigor até 04 de dezembro, seja assinado entre hoje à noite e quarta-feira de manhã.

Em declarações no Parlamento na segunda-feira, o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, antecipou, entre outras medidas restritivas, a imposição de um recolher obrigatório noturno a nível nacional a partir das 22:00.

A pandemia da doença covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos e mais de 46,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus (SARS-Cov-2) detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ AM