Uma mãe e o filho morreram na sequência do desabamento de uma casa devido ao mau tempo na província de Niassa, norte de Moçambique, disse à Lusa fonte do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

O incidente ocorreu na sexta-feira no distrito de Chimbunila, durante um vendaval que se abateu sobre a província na sequência do mau tempo no norte de Moçambique, disse à Lusa o técnico de planificação do INGC em Niassa, Friday Taibo.  

A senhora estava com o bebé ao colo, quando uma árvore caiu e derrubou uma das paredes da casa, provocando um desabamento, que matou os dois no local", explicou Friday Taibo.

Além das duas vítimas mortais, o vendaval destruiu ainda total ou parcialmente 12 casas, desalojando 74 pessoas.

No total, desde outubro, quando a época chuvosa começou, as autoridades registaram oito vítimas mortais naquela província, afetando 4.739 pessoas e destruindo infraestruturas, com destaque para salas de aula.

Em todo o país, pelo menos 47.572 pessoas foram afetadas por efeitos combinados na época chuvosa em curso e o Governo emitiu um alerta laranja para todas as províncias do país, após, no final do mês passado, chuvas fortes devastarem o norte do país, com destaque para Cabo Delgado.

Entre os meses de outubro e abril, Moçambique é ciclicamente atingido por ventos ciclónicos oriundos do Índico e por cheias com origem nas bacias hidrográficas da África Austral.

No total, 714 pessoas morreram durante o período chuvoso em 2018/2019, incluindo 648 vítimas dos ciclones Idai e Kenneth, que se abateram sobre o centro e norte, respetivamente.

/ ALM com Lusa