A Alemanha declarou hoje que nas últimas 24 horas registou 2.279 casos do novo coronavírus, o sexto maior número desde o final de abril, e foram ainda contabilizados mais dois mortos no país.

De acordo com as autoridades, além disso, nem todos os organismos locais transmitem os seus dados para a entidade de saúde central durante os finais de semana.

O número de mortos com covid-19 subiu para 9.529 indivíduos, após contabilizar mais dois óbitos nas últimas 24 horas.

Segundo o Instituto Robert Koch (RKI), principal centro epidemiológico da Alemanha, este é o quarto dia consecutivo com mais de 2.000 novos casos por dia (quinta-feira, 2.503; sexta-feira, 2.673; sábado, 2.563) e a décima vez que esse patamar é superado desde 25 de abril, uma vez que a curva foi achatada.

O país, que estava numa situação muito mais confortável que a maioria de seus vizinhos, atingiu o seu pico de casos novos entre o final de março e o início de abril, com cerca de 6.000 por dia.

Em julho, os números caíram para menos de 500, mas têm mostrado uma tendência ascendente constante desde então.

A Alemanha está, portanto, aproximando-se dos 300.000 infetados, entre uma população total de 83,2 milhões de pessoas. No total, são 299.237 casos identificados, dos quais cerca de 261.900 já foram recuperados.

A Renânia do Norte-Vestfália e Baviera são os Estados federais com o maior número de casos (também os mais populosos).

As cidades de Bremen e Berlim são aquelas com a maior incidência nos últimos sete dias.

Dois dos quatro distritos com mais de 35 casos novos nos últimos sete dias para cada 100 mil habitantes estão na capital alemã.

O Governo federal e os Executivos dos 16 Estados federais concordaram nesta semana em apertar as medidas para conter a propagação da doença, com clara tendência de alta desde o final de agosto.

As festas, sejam em locais públicos ou alugados, não podem ultrapassar 50 participantes nas regiões com mais de 35 infeções por semana por 100.000 habitantes. Para reuniões privadas, o máximo será 25.

Também concordaram em impor multas de, pelo menos, 50 euros a quem der informações falsas sobre a sua identidade nas listas de contactos de bares e restaurantes, ferramenta essencial para seguir as cadeias de infeções.

A cidade de Berlim, além disso, decidiu impor as máscaras também nos escritórios.

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu as novas medidas e explicou que se trata de conter a propagação do coronavírus, mantendo "a atividade económica e escolar na medida do possível".

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 34,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

/ AM