Uma parte de glaciar Nanda Devi partiu-se, destruiu uma barragem e provocou uma avalanche de água e lama no estado de Uttarakhand, na Índia. O desastre ocorreu no início da manhã.

Os números ainda não são certos, mas, segundo as autoridades, estima-se que haja pelo menos 150 mortos e 50 desaparecidos, na maioria, trabalhadores da barragem. Até ao momento, foram recuperados apenas nove corpos.

O chefe regional das equipas de resgate, Ridhim Aggarwal, revelou que os responsáveis pela barragem em construção no rio Rishiganga "não conseguiram contactar os cerca de 150 trabalhadores na obra".

Nas imagens vê-se uma imensa massa de água, vinda do topo dos Himalaias: “Veio muito rápido, não havia tempo para alertar ninguém”, disse uma testemunha no local à agência Reuters. Várias aldeias tiveram de ser evacuadas.

O primeiro-ministro, Narendra Modi, disse que está a acompanhar de perto a situação. O governo indiano mobilizou a Força Aérea para ajudar nas buscas e no resgate de eventuais sobreviventes. 

Foram ainda abertas outras barragens para que a água possa vazar.

Esta região montanhosa já sofreu enchentes, deslizamentos de terra e o colapso de edifícios em junho de 2013.

Essa tragédia causou cerca de 7.000 mortes ou desaparecidos, muitos deles peregrinos hindus que se deslocaram a Uttarakhand para visitar alguns dos lugares mais importantes para a religião, e onde também nasce o sagrado rio Ganges.

Cláudia Évora / Notícia atualizada às 14:24