As autoridades do Sri Lanka identificaram 42 estrangeiros entre as vítimas mortais do atentado que, no total, provocou a morte a 253 pessoas no passado dia 21 de abril.

De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Sri Lanka, encontram-se ainda na morgue de Colombo vários corpos que continuam por identificar, sendo que doze estrangeiros estão dados como desaparecidos desde o domingo de Páscoa, dia dos atentados.

Os ataques, que foram reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, fizeram 253 mortos, entre os quais 11 cidadãos da Índia, seis do Reino Unido, quatro da República Popular da China, três da Dinamarca e um português.

Pelo menos cinco estrangeiros feridos nos atentados continuam hospitalizados.

O anterior balanço oficial sobre vítimas estrangeiras indicava 40 mortos sendo que “os restos mortais de 25 pessoas já foram repatriados”.

Após os ataques, o governo declarou estado de urgência permitindo às autoridades mais condições para investigar.

Até ao momento foram presas 150 pessoas suspeitas de envolvimento nos vários ataques que ocorreram no domingo de Páscoa e que atingiram igrejas católicas e hotéis.

O Executivo prevê uma descida de 30% das visitas turísticas até ao fim do ano o que pode causar prejuízos de 1,5 milhões de dólares no setor do turismo.

Entretanto, o chefe de Estado, Maithripala Sirisenal, levantou as restrições ao uso das redes sociais que foram aplicadas após o dia 21 de abril e pediu para que “as pessoas utilizem a internet de forma responsável”.

Na altura dos atentados o governo justificou as restrições comunicando que as redes sociais estavam a difundir informações incorretas.