Vários polícias ficaram esta quarta-feira feridos na sequência da invasão ao Capitólio por manifestantes pró-Trump. 

De acordo com a CNN, pelo menos um agente foi transportado para o hospital.

Durante os protestos, uma mulher ficou gravemente ferida depois de ter sido baleada no peito, acabando por morrer algumas horas mais tardes, na sequência dos ferimentos, segundo avançou o Washington Post. As circunstâncias do tiroteio são ainda desconhecidas.

Parte do Congresso norte-americano foi esta quarta-feira evacuada na sequência de uma larga manifestação pró-Trump que irrompeu em violência após um comício organizado em Washington.

Os agentes de segurança usaram ainda gás lacrimogéneo para dispersar dezenas de manifestantes que acabaram por entrar no edifício, invadindo a Câmara de Representantes e o Senado, que tiveram de interromper os trabalhos de contagem dos votos do Colégio Eleitoral, para validar a eleição do democrata Joe Biden.

Agentes das forças de segurança interna e membros da polícia de choque foram destacados para o Capitólio, para auxiliar a polícia destacada para a segurança do Congresso, que se mostrava impotente para travar os milhares de manifestantes que se juntaram quando os congressistas estavam reunidos.

Alguns dos manifestantes colocaram nas redes sociais imagens da sua presença nas câmaras do Congresso, sentados nas cadeiras de representantes e de senadores, obrigando as forças policiais a usar armas de fogo para garantirem a segurança dos congressistas.

Alguns congressistas foram aconselhados a ficar debaixo das secretárias e a usar máscaras de gás, para se protegerem, e alguns agentes tiveram mesmo de disparar as suas armas, para refrear as ameaças mais severas.

Explosivo encontrado no local

Pelo menos um dispositivo explosivo foi encontrado perto do Capitólio dos EUA, depois de manifestantes pró-Trump terem invadido o edifício, e as autoridades dizem que ativistas usaram produtos químicos contra a polícia.

As autoridades norte-americanas disseram que o dispositivo explosivo não constituiu um risco para a segurança do Capitólio, mas a sua presença espoletou um forte dispositivo de segurança no seu perímetro.

O chefe da polícia de Washington, Robert Contee, disse ainda que alguns manifestantes usaram “irritantes químicos” contra os agentes de segurança destacados para garantir a segurança dos congressistas, que tiveram de interromper os trabalhos de contagem de votos do Colégio Eleitoral, para validar a vitória do democrata Joe Biden.

Durante os distúrbios, um civil foi baleado dentro do edifício do Capitólio, onde foram detidas 13 pessoas por terem invadido espaço que lhes estava vedado.

O presidente da Câmara de Washington ordenou o recolher obrigatório a partir das 18:00 (23:00 hora de Portugal continental), para ajudar no esforço das forças de segurança para conter os milhares de manifestantes que se concentraram no Capitólio.

Milhares de manifestantes tinham-se reunido em Washington, protestando e contestando a vitória do democrata Joe Biden.

Num comício em frente à Casa Branca, Trump pediu aos manifestantes para se dirigirem para o Capitólio e fazer ouvir a sua voz, em protesto do que considera ser uma “fraude eleitoral”, tendo mesmo dito que “nunca” aceitaria a sua derrota nas eleições de 03 de novembro.

Os manifestantes obedeceram ao comando do Presidente cessante e dirigiram-se para o Capitólio, tendo mesmo forçado a oposição da polícia, que tentou impedir a sua entrada no edifício.