Seis membros do grupo organizado de crime latino Dominican Don't Play foram presos em Saragoça pela violação de uma mulher que mantinham em cativeiro por vários dias.

O caso foi descoberto após uma operação realizada em março passado no município espanhol de Saragoça, que resultou na prisão de 15 membros desse gangue. Entre o material informático recolhido, a Polícia encontrou 16 vídeos em que três homens forçaram uma mulher a ter relações sexuais.

O tribunal decidiu abrir uma investigação específica sobre esses vídeos e, segundo o jornal ABC que cita fontes policiais, “os agentes encarregados da análise das imagens afastaram desde o início que pudesse ser uma relação com o consentimento da mulher”.

Os vídeos dessas agressões sexuais foram encontrados nos telemóveis dos líderes do grupo de crime organizado com sede em Saragoça.

As forças de segurança conseguiram identificar e localizar a vítima, bem como os seis homens que participaram na violação. Três deles estão presos há vários meses, depois de terem sido detidos na operação em março passado. Os outros três, que também pertencem à Dominican Don't Play, já foram a tribunal.

Os seis homens que aparecem nesses 16 vídeos são acusados ​​de crimes de detenção ilegal, agressão sexual, injúria, revelação de segredos e ameaças.

Segundo fontes policiais, a vítima foi detida contra sua vontade por mais de dois dias. Foi mantida trancada dentro de um quarto, e acredita-se que seus raptores lhe forneceram "substâncias químicas de submissão" para anular a sua vontade e, assim, facilitar a agressão sexual.