Uma jovem foi assassinada e mutilada pela família, com a ajuda de um amigo talhante, na cidade de Bihar, na Índia, numa chamada "morte por honra". Em causa está o facto de a jovem ter fugido, afirmam as autoridades.

A polícia encontrou, no domingo, o corpo desmembrado da rapariga de 16 anos, natural de Gaya, escreve o The Guardian.

Fotografias dos restos mutilados da jovem começaram a circular nas redes sociais, gerando protestos e vigílias pela cidade. As imagens foram partilhadas juntamente com a informação de que a jovem teria sido mergulhada em ácido.

Os familiares afirmaram que a jovem tinha sido violada e assassinada e que as autoridades foram demoradas nas buscas, desde que o desaparecimento tinha sido denunciado, a 28 de dezembro. Esta quinta-feira, a polícia afirmou acreditar que a família era responsável pela morte da rapariga.

É um caso de morte por honra", esclareceu o chefe da polícia de Gaya, Rajiv Kumar Mishra. "A jovem fugiu de casa com alguém no dia 28 de dezembro mas voltou depois de três dias. Isto enfureceu os pais, que cometeram o assassinato com a ajuda de um amigo talhante".

Fugir com alguém - para casar, por exemplo - que não tenha aprovação da família é como desafiar os costumes e leva geramente a punições por parte dos familiares. Todos os anos são noticiados vários casos de mortes, mulheres e homens, que casam sem o consentimento da família, da religião ou costumes da comunidade.

Depois de recuperado o corpo, chamámos os pais da jovem várias vezes à esquadra para recolher depoimentos, mas eles sempre arranjaram desculpas e não apareceram", afirmou ao Hindustan Times o oficial da polícia.

 

As tentativas duvidosas de evitarem os interrogatórios confirmaram as nossas suspeitas. Entretanto, o talhante contou como decorreu todo o incidente".