Jacinda Ardern foi mãe há três meses e já regressou ao trabalho. Enquanto primeira-ministra da Nova Zelândia, deslocou-se a Nova Iorque para estar presente na Assembleia das Nações Unidas e levou a filha, tornando-se a primeira líder mundial a participar no encontro com uma bebé ao colo.

Ardern, de 38 anos, chamou todas as atenções na passada segunda-feira ao aparecer na Assembleia da ONU na companhia do marido e da filha Neve Te Aroah, com quem brincou e trocou carinhos em várias ocasiões.

As câmaras dos fotógrafos captaram vários momentos da mulher e de Clarke Gayford com a bebé, antes e depois do discurso na Cimeira inspirada em Nelson Mandela, onde também está o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa.

Gayford viajou até Nova Iorque com a mulher para ajudar nos cuidados com criança, que ainda está a ser amamentada e, por isso, foi até aos Estados Unidos com a mãe.

Durante os seis dias do encontro na sede das Nações Unidas, nos momentos em que Ardern está a trabalhar, o pai toma conta da bebé e brinca com ela, sob o olhar curioso de vários presentes.

Neve fez história ao tornar-se a primeira bebé a participar numa Assembleia das Nações Unidas. O pai partilhou no Twitter uma fotografia do cartão de acesso da bebé às instalações da ONU com a descrição de “Primeiro-bebé da Nova Zelândia”.

“Foi uma decisão prática”

A primeira-ministra neozelandesa diz que ter levado a bebé para a Assembleia da ONU “foi uma decisão prática”.

A Neve está praticamente quase todo o tempo comigo na Nova Zelândia, só não é sempre apanhada. Aqui, quando está acordada, tentamos que ela esteja comigo. Foi essa a situação”, afirmou Ardern ao jornal New Zealand Herald.

Neve fez história, mas não foi a primeira bebé a ter tamanho destaque na imprensa. A bebé de Ardern foi a primeira a estar numa Assembleia da ONU, mas parece que algumas crianças oceânicas, e nomeadamente meninas, nascem para serem marcantes na política.

Em maio do ano passado, Ali Joy também fez correr alguma tinta ao ser o primeiro bebé amamentado no parlamento australiano.

A senadora australiana Larissa Waters esteve a alimentar a filha de dois meses no parlamento durante uma votação.

A grande novidade dos bebés no palco político chegou, ainda assim, em 2011, quando uma eurodeputada italiana escolheu levar a filha para o trabalho por várias sessões.

Licia Ronzulli chamou as atenções nesse ano não apenas pela ternura com a descendente, mas sobretudo por levar a criança para, pelo menos, cinco sessões de votação sobre o futuro da União Europeia no Parlamento Europeu.