O módulo científico russo Nauka acoplou-se, na quinta-feira, à Estação Espacial Internacional (EEI), após oito dias de viagem. No entanto, nem tudo correu bem.

Algumas horas depois do acoplamento, o motor dos propulsores foi ativado "inadvertidamente", causando um desvio da estação.

O foguetão russo Nauka disparou os seus propulsores, inadvertidamente e inesperadamente, fazendo com que a estação se movesse 45 graus”, relatou a NASA na rede social Twitter. 

Este incidente obrigou os trabalhadores da EEI a reagir rapidamente.

As equipas que controlavam a missão conseguiram corrigir a ação e todos os sistemas já estão a operar normalmente. A tripulação não correu perigo", comunicou a NASA.

O módulo Nauka ("ciência" em russo) foi lançado a 21 de julho, a bordo de um foguete Proton-M do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, e foi acoplado oito dias depois ao módulo de serviço russo Zvezda.

O lançamento foi acompanhado pela Agência Espacial Europeia, porque o foguetão transportava consigo o European Robotic Arm, o primeiro braço robô que era para ser instalado no exterior da EEI.

O braço robótico, que estava praticamente pronto desde 2007, poderá levantar até oito toneladas de material e ajudar os astronautas nas suas saídas espaciais.

O Nauta será principalmente utilizado para investigação e armazenamento de equipamento de laboratório. Este módulo irá substituir, após 20 anos de serviço, o módulo Pirs, que foi, na segunda-feira, desacoplado da EEI.

/ IC