Catorze imigrantes foram esta segunda-feira resgatados com vida do mar nas ilhas espanholas Baleares, incluindo 14 inicialmente dados como mortos, enquanto as equipas de socorro procuram outros três, indicaram as autoridades.

Três pessoas que estavam no mar foram resgatadas por um helicóptero, nove foram encontradas pelas forças de segurança e pelo serviço de Salvamento Marítimo numa embarcação precária, ao passo que outras duas foram auxiliadas por outro barco, e todas se encontram a salvo.

No entanto, as equipas de emergência não concluíram a operação de resgate, porque pensam que na embarcação viajavam inicialmente 17 pessoas, pelo que prosseguem as buscas das restantes três.

Os 14 imigrantes resgatados estão a receber cuidados médicos por se encontrarem muito debilitados, após vários dias no mar.

Uma embarcação privada avisou primeiro que tinha recuperado dois cadáveres e que havia mais no mar, mas o serviço de Salvamento Marítimo comprovou que estavam vivos e que o que estava a flutuar eram coletes salva-vidas.

Pouco depois, um helicóptero localizou outros três imigrantes vivos na água, que receberam cuidados médicos em terra e foram transportados para hospitais.

Posteriormente, foram localizadas mais nove pessoas com vida na embarcação e foram levadas para a ilha de Maiorca.

O litoral de Maiorca está em alerta amarelo devido a ventos fortes de norte que geram ondas com entre dois e três metros de altura.

Na semana passada, chegaram às ilhas Baleares 19 embarcações precárias, com 257 pessoas a bordo.

Sem contar com as de hoje, este ano já chegaram às Baleares 118 embarcações, com 1.764 imigrantes.

A chegada irregular de imigrantes a Espanha acelerou durante o mês de setembro e aumentou 51% nos nove primeiros meses deste ano, em comparação com o mesmo período de 2020.

Entre 01 de janeiro e 30 de setembro, entraram no país 28.729 pessoas, a maioria das quais por via marítima: 27.136, em 1.521 embarcações precárias procedentes do continente africano.

Agência Lusa / JGR