União Europeia e Reino Unido prosseguem esta quinta-feira uma maratona negocial com vista a fechar o acordo sobre as futuras relações comerciais, cujo anúncio está pendente do compromisso final sobre as pescas, segundo várias fontes diplomáticas.

Considerado “iminente” na quarta-feira, o anúncio do acordo chegou mesmo a estar previsto para hoje de manhã, com a indicação de que cerca das 08:00 de Bruxelas poderiam ter lugar conferências de imprensa da presidente da Comissão Europeia, em Bruxelas, e do primeiro-ministro britânico, em Londres, mas surgiram “dificuldades de última hora” relacionadas com o dossiê das pescas, como admitiu publicamente o chefe da diplomacia irlandesa.

Em declarações à estação pública RTE, o ministro dos Negócios Estrangeiros irlandês, Simon Coveney, confirmou que estava prevista uma conferência de imprensa do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, hoje de manhã, o que anda não aconteceu, já que “aparentemente surgiram dificuldades de última hora” relacionadas com as pescas, um dos três ‘dossiês’ que fizeram arrastar as negociações ao longo de meses, em conjunto com as questões da concorrência e da resolução de litígios, estas já ultrapassadas.

Ainda assim, o ministro irlandês disse confiar que o aguardado anúncio de um acordo comercial entre UE e Reino Unido ainda “aconteça mais tarde durante o dia de hoje”.

Diversas fontes diplomáticas apontam para o anúncio de um acordo muito em breve, podendo a qualquer momento ter lugar a aguardada chamada telefónica entre a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, e o primeiro-ministro Boris Johnson – que estiveram em contacto mesmo durante a última madrugada -, para ‘selar’ o acordo, a uma semana do final do “período de transição” para a consumação do ‘Brexit’, 31 de dezembro.

Apesar de o Parlamento Europeu já não ter tempo de ratificar um acordo comercial nos poucos dias que restam até ao final do ano – o texto negociado tem cerca de 2.000 páginas e o seu escrutínio é por isso moroso -, os Estados-membros da UE podem aprovar a entrada em vigor com cariz provisório de um acordo comercial com Londres em 01 de janeiro de 2021, tendo fontes europeias garantido que já estão a ser desenvolvidos procedimentos nesse sentido.

Sem um compromisso, a partir de 01 de janeiro o comércio entre o Reino Unido e a UE seria feito sob as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC), o que implica a aplicação de taxas aduaneiras e quotas de importação.

/ CE