O ministro dos Negócios Estrangeiros considerou esta quarta-feira "positivos" os mais recentes desenvolvimentos nas negociações entre a União Europeia e o Reino Unido e defendeu que neste momento, aparentemente, não há questões irresolúveis para um ‘Brexit’ ordenado.

Esta posição foi transmitida por Augusto Santos Silva no final de uma reunião de duas horas e meia com o Conselho Permanente da Concertação Social sobre a agenda do próximo Conselho Europeu, na quinta e sexta-feira, em Bruxelas.

Os últimos desenvolvimentos [sobre o Brexit], ao longo da noite de terça-feira e da manhã de hoje, são considerados por Portugal como positivos, desde logo, em primeiro lugar, porque as negociações estão em curso. Em segundo lugar, embora existam questões por resolver [entre a União Europeia e o Reino Unido], nenhuma delas parece assumir-se como irresolúvel", sustentou o titular da pasta dos Negócios Estrangeiros.

Augusto Santos Silva considerou depois que, para Portugal, a acontecer a saída do Reino Unido da União Europeia, "é muitíssimo importante que se faça de forma acordada".

Uma saída com acordo é uma saída ordenada, que evita os feitos negativos de um ‘Brexit' caótico com efeitos negativos para as pessoas e para as economias. Termos um acordo sobre a saída é meio caminho andado para termos um acordo sobre a relação futura", sustentou o titular da pasta dos Negócios Estrangeiros.

Augusto Santos Silva acentuou depois que os desenvolvimentos das negociações sobre o ‘Brexit’, que ainda não estão consolidados e que ocorrerem desde o último fim-de-semana, são positivos, porque as duas equipas estão a trabalhar numa atmosfera positiva".

Sabemos que este processo é muito dinâmico e às vezes muito surpreendente", acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em relação ao segundo tema da reunião da concertação social, referente ao quadro plurianual da União Europeia para o período entre 2021/2027, Augusto Santos Silva confirmou que Portugal se prepara para rejeitar no próximo Conselho Europeu a proposta da presidência finlandesa.

O ministro dos Negócios Estrangeiros considerou que a proposta da Comissão Europeia "é um bom ponto de partida, mas deve aproximar-se da proposta do Parlamento Europeu, prevendo um volume financeiro de 1,3% do rendimento dos 27 Estados-membros.

 

Mais de metade dos portugueses já se registaram junto das autoridades britânicas

O ministro dos Negócios Estrangeiros afirmou que mais de 162 mil portugueses residentes no Reino Unido, mais de metade do total, já se registaram nos mecanismos de regularização colocado em marcha pelas autoridades britânicas.

Este dado foi transmitido por Augusto Santos Silva aos jornalistas, adiantando que, na segunda-feira, se desloca a Londres, onde se reunirá com o ministro britânico para o ‘Brexit’, Stephen Barclay, visitando depois o Consulado de Portugal na capital britânica.

A situação dos portugueses residentes no Reino Unido é agora muito melhor e estamos relativamente tranquilos. Neste momento, já ultrapassaram os 162 mil o número de portugueses que, residindo no Reino Unido, se registaram nos mecanismos de regularização que as autoridades britânicas puseram em marcha", declarou o titular da pasta dos Negócios Estrangeiros no final da reunião da concertação social.

Segundo Santos Silva, "162 mil significa que já foi ultrapassada a metade do total de portugueses que residem no Reino Unido, que se estima na ordem dos 300 mil".

E recordo que as pessoas têm até ao final do próximo ano para proceder à regularização", completou.