Um neonazi foi enterrado numa sepultura que estava vazia, mas que já tinha pertencido a um judeu, num cemitério na Alemanha.

Henry Hafenmayer foi enterrado na última sexta-feira no cemitério de Südwestkirchhof Stahnsdorf, a cerca de 30 quilómetros do centro de Berlim.

A informação foi muito mal recebida, com várias entidades a condenarem veemente a reutilização do espaço, de acordo com a BBC.

A igreja de Berlin-Brandenburg-schlesische Oberlausitz explica que se trata de um “erro terrível” e que a instituição está "a averiguar se é possível reverter o processo".

Hafenmayer estava ligado a vários grupos neonazis alemães. Negacionista, o homem enviou cartas com conteúdo antissemita a várias instituições públicas, onde dizia que o Holocausto tinha sido uma “mentira”. 

Agora, foi sepultado onde já tinha estado enterrado Max Friedländer, um músico e professor judaico, que morreu em 1934. Na que um dia foi a lápide de Friedländer, estão agora flores de apoiantes neonazis, com mensagens nacionalistas.

Fonte da igreja avançou, ainda, que o representante de Hafenmayer solicitou primeiramente um cemitério mais central, mas o pedido terá sido recusado uma vez que havia muitos túmulos de judeus naquele local.