Asif Rafiq Siddiqi, um paquistanês na casa dos 30 anos, foi agredido por convidados e familiares da mulher com quem ia casar depois de a primeira mulher dele ter aparecido na cerimónia para revelar que ele já era casado e tinha um filho com ela.

Segundo a BBC, o noivo foi perseguido, empurrado e agredido pela multidão. 

No Paquistão a poligamia é legal, mas é necessário que as mulheres anteriores consintam um novo casamento, autorização que o noivo não pediu. Um homem pode ter até quatro mulheres, mas Siddiqi escondeu da futura mulher que já era casado com outras duas pessoas. 

O casamento realizava-se na cidade de Karachi quando Madiha Siddiqi surgiu, já durante o copo de água.

Ele é meu marido e o pai desta criança", gritou, apontando para o menor que levava com ela. 

A família da noiva pediu explicações e ficou a saber que o noivo já se tinha casado em 2016 pela primeira vez com Madiha mas também uma segunda vez em 2018, tendo igualmente escondido a cerimónia da primeira mulher. 

A polícia foi chamada ao local na sequência das agressões ao noivo e este foi mais tarde levado para uma esquadra, para que ficasse em segurança. Porém, foi descoberto pelos familiares da noiva, que o seguiram e esperaram que reaparecesse para o agredir novamente.

Quando voltou à rua, o noivo escondeu-se debaixo de um autocarro e acabou resgatado por desconhecidos quando a multidão que o seguia ameaçava incendiar o veículo. 
 

/ BC