A Índia ultrapassou esta quinta-feira pela primeira vez a barreira dos 200.000 casos diários de covid-19, um novo pico nesta segunda vaga de contágios no país asiático.

Nas últimas 24 horas foram registadas 200.739 novas infeções, elevando o total desde o início da pandemia para 14 milhões, o que mantém a Índia como a segunda nação mais afetada atrás dos Estados Unidos com 31 milhões.

As autoridades anunciaram ainda a morte de 1.038 pessoas nas últimas 24 horas, totalizando 173.123 mortos desde o início da pandemia.

Algumas regiões como o Maharashtra ocidental, a mais afetada de todas no país, já impôs restrições severas, próximas do confinamento total, permitindo apenas o movimento de certos grupos profissionais considerados essenciais.

O Ministério da Saúde disse hoje que para "evitar o pânico" sobre a disponibilidade de oxigénio nos centros de saúde para tratar doentes com coronavírus foram tomadas várias medidas para assegurar o seu fornecimento em todo o país.

As autoridades continuam a salientar que uma das chaves para tentar controlar esta segunda vaga é aumentar os testes para detetar e isolar os infetados.

Até agora a Índia realizou cerca de 262 milhões de testes desde o início da pandemia, 1,4 milhões no último dia, algo que é visto como insuficiente em cidades como Nova Deli, onde centros privados têm agora listas de espera de até quatro dias.

A única solução a longo prazo para esta crise é a chamada maior campanha de vacinação do mundo, com mais de 114 milhões de doses administradas desde o seu lançamento em janeiro, das quais 3,3 milhões foram administradas nas últimas 24 horas.

/ CE