Aquele que foi o primeiro autocrata a ser deposto na chamada Primavera Árabe, Zine El-Abidine Ben Ali, Presidente da Tunísia entre 1987 e 2011, morreu esta quinta-feira, avançou o advogado da família. Tinha 83 anos.

Ben Ali acabou de morrer na Arábia Saudita", onde vivia exilado há oito anos, confirmou o advogado Mounir Ben Salha à Reuters.

O antigo chefe de estado morreu em Jeddah e o corpo vai ser trasladado para Meca, até que a família decida onde vai sepultá-lo, explicou o advogado, Mounir Ben Salah.

Ben Ali fugiu da Tunísia em janeiro de 2011 na sequência de enormes protestos contra o seu regime opressivo. A chamada Revolução de Jasmim resultou na Primavera Árabe, a onda de manifestações em massa que se espalhou por todo o norte de África e Médio Oriente, nomeadamente em paísesc como a Líbia e o Egito.

A morte do ditador deposto acontece poucos dias depois de os tunisinos terem sido chamados às urnas para escolherem o seu próximo presidente. As eleições foram convocadas no rescaldo da morte de Béji Caïd Essebsi, o primeiro chefe de Estado eleito democraticamente no país após o afastamento de Ben Ali.

Num desenrolar de acontecimentos impensável durante o regime de Ben Ali, os eleitores da Tunísia escolheram dois estranhos à política nacional, que após empate irão disputar a presidência numa segunda volta marcada para outubro.

Quase todos os candidatos às presidenciais do passado domingo apoiaram publicamente a revolução, à exceção de um, Abir Moussi, que fez campanha apoiado no nome e legado de Ben Ali. Recebeu 4% dos votos e está fora do segundo turno eleitoral.