Oito obras de Pablo Picasso, de vários períodos da carreira do artista espanhol, foram vendidas num leilão da Christie's em Nova Iorque, por um total de 92,5 milhões de dólares (80,8 milhões de euros).

"Mosquetaire à la pipe II", de 1968, leiloado pela primeira vez, foi vendido na quinta-feira por 30 milhões de dólares (26,2 milhões de euros).

A tela "Femme accroupie en costume turc II (Jacqueline)", de 1955, que permaneceu nas mãos da mesma família desde que foi comprada, em 1957, foi vendida por 25,5 milhões de dólares (22,2 milhões de euros).

"Homme à la pipe" (1968), "Profil" (1930), um retrato da primeira mulher de Picasso, Olga Jojlova, "Le repas de l'accrobate" (1905), "Homme à la guitarre" (1912-1913), "Verre et bouteille sur une table" (1913) e "Tête d'homme barbu à la cigarette" (1964), alcançaram preços entre os 15,4 milhões de dólares (13,4 milhões de euros) e 587 mil dólares (513 mil euros).

No mesmo leilão, "Jean-Michel Basquiat", de Andy Warhol, superou as expetativas, tendo sido vendido por 40 milhões de dólares (quase 35 milhões de euros), o dobro da estimativa dos peritos.

Numa venda de pintores impressionistas realizada pouco antes, que incluía a coleção do magnata do petróleo norte-americano Edwin L. Cox, falecido no ano passado, foram vendidos ainda três quadros do holandês Vincent Van Gogh, com "Cabanes de bois parmi les oliviers et cyprès", de 1889, a alcançar 71,3 milhões de dólares, após taxas e impostos (62,3 milhões de euros) - acima dos 40 milhões (34,9 milhões de euros) que a leiloeira tinha estimado.

A obra "L'Estaque aux toits rouges", de Paul Cézanne (1883-1885), exposta em público apenas uma vez desde que foi pintada, em 1889, foi arrematada por 55,3 milhões de dólares (48,3 milhões de euros), um valor dentro da estimativa da leiloeira.

Um quadro do impressionista francês Gustave Cailebotte, "Jeune homme à sa fenêtre", bateu o recorde do artista, atingindo o preço de 46 milhões de dólares (40 milhões de euros).

/ BMA