O navio humanitário "Ocean Viking" recebeu autorização para desembarcar 213 migrantes em Itália. Os migrantes resgatados pelo navio das organizações Médicos Sem Fronteiras (MSF) e SOS Mediterranée, vão desembarcar no porto de Messina, na Sicília, sul da Itália.

O Ocean Viking recebeu autorização para desembarcar em Messina, na Sicília, com as 213 pessoas resgatadas que estão a bordo do navio”, informou este domingo os MSF nas redes sociais, avisando que as condições meteorológicas estão a piorar.

A organização não governamental acrescentou que os migrantes salvos pelos navios espanhóis Open Arms e Aita Mari também poderão desembarcar em breve.

O Ocean Viking resgatou 125 pessoas em várias operações de resgate nos dias 19 e 20 de novembro e, a 22 de novembro, uma mulher grávida de gémeos e um homem com ferimentos de bala foram trasladados por razões de saúde para Malta. Um dia antes, na quinta-feira, o navio salvou outras 90 pessoas em águas internacionais, a 82 milhas náuticas (152 quilómetros) da costa da Líbia.

Por outro lado, a Guarda Costeira italiana informou hoje que avistou "um pequeno barco em dificuldade a menos de 1,6 quilómetro da costa" da ilha de Lampedusa (sul da Itália) e que, momentos depois, afundou.

Os navios da Guarda Costeira resgataram 143 pessoas, que foram levadas para a ilha de Lampedusa, e vasculharam a área em busca de outros possíveis sobreviventes.

A ONG espanhola Open Arms publicou na rede social Twitter que os resgatados confirmaram "o desaparecimento de 20 pessoas". A 21 de novembro, a organização espanhola resgatou 73 migrantes a cerca de 80 quilómetros da costa da Líbia e, desde então, espera que um país europeu autorize um porto.

Por sua vez, o barco de socorro humanitário "Aita Mari" na quinta-feira salvou 78 migrantes no Mediterrâneo central e também espera um porto para poder desembarcá-los.