O diplomata faria 65 anos na terça-feira. Ter-se-á sentido mal nas instalações da representação diplomática russa na ONU e foi transportado de urgência para um hospital de Manhattan.

De acordo com fontes diplomáticas citadas pela agência noticiosa AFP, Churkin terá sido vítima de problemas cardíacos. O Ministério russo dos Negócios Estrangeiros, em comunicado, referiu-se apenas à "morte súbita" do seu diplomata.

O representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, morreu repentinamente em Nova Iorque, a 20 de fevereiro", refere a nota da diplomacia russa.

O presidente russo Vladimir Putin elogiou Vitaly Churkin, louvando o seu "profissionalismo e capacidades diplomáticas", segundo a comunicação de um porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, citado pela agência de notícias russa Interfax.

Diplomatas que estavam reunidos na sede das Nações Unidas em Nova Iorque cumpriram um minuto de silêncio em memória do seu colega russo.

Vitaly Churkin era um diplomata de carreira ainda da era soviética. Foi nomeado para o cargo de representante da Rússia na ONU em 2006, dois anos após o atual chefe da diplomacia russo, Sergei Lavrov, ter abandonado aquele posto.