Perante os últimos dias de incerteza que têm marcado o Brexit, a Igreja Anglicana no Reino Unido está a fazer uma proposta peculiar aos fiéis: beber uma chávena de chá e fazer uma “oração” pelo futuro do país.

Apoiada pelos arcebispos da Cantuária (o líder espiritual da Igreja Anglicana) e de York, a iniciativa divulgada, esta segunda-feira, tem como objetivo “reunir e discutir (o tema) na companhia de uma chávena de chá e rezar pelo país e pelo futuro” dos britânicos, explicou a Igreja de Inglaterra (ou Anglicana), num comunicado.

O convite está a ser feito para o fim de semana de 30 e 31 de março, um dia depois da saída prevista (a 29 de março) do Reino Unido da União Europeia.

Na nota informativa divulgada, esta segunda-feira, consta um pequeno aviso os participantes na iniciativa: será necessário respeitar as “posições divergentes”, uma vez que cerca de três anos depois do referendo de 23 de junho de 2016, que viu 52% dos britânicos a votarem a favor do Brexit, o país continua muito dividido.

Do lado político, o consenso também está longe de ser encontrado. O acordo de saída negociado entre Bruxelas e a primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May, já foi rejeitado duas vezes, de forma expressiva, pelo Parlamento britânico.

No âmbito desta iniciativa, a Igreja Anglicana propõe algumas questões que podem servir como ponto de partida para uma conversação sobre este tema sensível no Reino Unido.

Que efeito o Brexit teve nas nossas relações familiares, de amizade…?" é uma das questões propostas pela Igreja Anglicana, que também propõe várias orações direcionadas “à união da nação” britânica, “aos dirigentes políticos”, “à salvação da democracia parlamentar britânica” ou aos líderes da União Europeia para que “possam liderar com sabedoria e discernimento".

 

Espero que cada um aproveite estes recursos e que estes nos ajudem a orar pelo nosso país neste momento crítico", declarou o arcebispo da Cantuária, Justin Welby, no mesmo comunicado citado pelas agências internacionais.

A Igreja Anglicana conta com cerca de 25 milhões de membros batizados na Inglaterra e no País de Gales.