A Organização Mundial da Saúde alertou esta terça-feira para a complacência de alguns governos e populações com o risco de transmissão do novo coronavírus durante os meses de verão.

Margaret Harris, porta-voz da OMS, destacou em conferência de imprensa que este vírus não tem o mesmo comportamento do vírus da gripe, que tende a acompanhar estações do ano específicas.

As pessoas ainda estão a pensar em estações do ano. Aquilo que nós temos de finalmente perceber é que este vírus comporta-se de forma diferente”, afirmou a porta-voz em Genebra, sublinhando a importância da vigilância no controlo das infeções de Covid-19.

Margaret Harris avançou ainda que pensar em vagas de contágio pelo novo coronavírus é errado. “Vai ser uma vaga gigante. Há de aumentar e de diminuir. A melhor coisa a fazer é baixar a curva de tal forma que fica perante os nossos pés”.

A pandemia de Covid-19 já matou mais de 650 mil pessoas e infetou 16,3 milhões em todo o mundo, quase um terço delas na Europa, desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

O número de óbitos duplicou em pouco mais de dois meses e mais de 100.000 novas mortes ocorreram desde 9 de julho.

A Europa continua a ser o continente mais afetado em termos de número de óbitos (208.138), mas a pandemia ainda está a progredir rapidamente na América Latina e nas Caraíbas, onde foram registadas 184.307 mortes.

Os Estados Unidos são o país com o maior número de óbitos (146.968 mortes) à frente do Brasil (87.004), Reino Unido (45.752), México (43.680) e Itália (35.112).