A Organização Mundial da Saúde (OMS) avisou esta sexta-feira que as vacinas contra a pneumonia atualmente existentes não protegem contra o novo coronavírus detetado na China.

O vírus é tão novo e diferente que precisa da sua própria vacina”, refere a OMS numa publicação informativa feita nas redes sociais, na qual acrescenta que a comunidade científica já está a tentar encontrar uma vacina específica.

Assim, a OMS esclarece que as vacinas contra a pneumonia existentes no mercado ou nos programas nacionais de vacinação não protegem contra o novo coronavírus, o qual provoca pneumonias virais.

Os investigadores estão a tentar desenvolver uma vacina contra o 2019-nCov [o novo coronavírus] e a OMS está a ajudar nesses esforços”, refere uma publicação da OMS divulgada hoje à tarde.

A organização das Nações Unidas acrescenta que, apesar de estas vacinas não protegerem contra o novo vírus, a “vacinação contra doenças respiratórias é altamente recomendada” para proteção da saúde, mas não para o caso concreto do coronavírus detetado na China e que já matou 258 pessoas e infetou quase outras 10 mil.

Na quinta-feira, após reunir o seu comité de emergência, a OMS decidiu declarar o surto do novo coronavírus como uma emergência de saúde pública a nível global.

Além da China e dos territórios chineses de Macau e Hong Kong, há mais casos confirmados do novo coronavírus noutros 23 países. O Reino Unido, a Rússia e a Suécia juntaram-se esta sexta-feira à Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, FrançaAlemanhaItália, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas e Índia.