A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) pediu este domingo o «levantamento imediato do estado de emergência» decretado quarta-feira pelo presidente da Geórgia como meio de enfrentar as manifestações da oposição.

A exigência foi feita pelo enviado especial da OSCE àquele país, o antigo presidente espanhol do Parlamento Europeu Josep Borrell, de acordo com um comunicado divulgado em Viena.

Segundo a nota, Borrell pediu às autoridades georgianas o «levantamento imediato do estado de emergência, o restabelecimento da liberdade de imprensa, particularmente para todas as estações de rádio e televisão, o respeito pelo direito de reunião e manifestação e a organização de eleições livres e imparciais».

O presidente Mikheil Saakachvili, considerado pró-ocidental, decretou na quarta-feira o estado de emergência por um período de 15 dias com o objectivo de impedir as manifestações da oposição a pedir eleições antecipadas, que já foram marcadas para 05 de Janeiro.

A antecipação da eleição presidencial foi saudada por Borrell, que aguarda o convite à OSCE para enviar observadores ao sufrágio.
Portugal Diário