Pablo Iglesias foi este domingo reeleito secretário-geral do partido político Podemos, em Espanha, arrecadando 89,03% dos votos contra o único candidato que o enfrentava oficialmente, o deputado andaluz Juan Moreno Yague, de acordo com dados oficiais, citados pela agência Efe.

Iglesias chegou ao Palácio de Vistalegre, em Madrid, com outros elementos da sua candidatura e também com o até agora secretário político, Íñigo Errejón, tendo sido recebido com gritos de "sim, podes" e "unidade, unidade". Os inscritos e simpatizantes do Podemos aplaudiram o abraço de Pablo Iglesias e Ínigo Errejón.

Pablo Iglesias assumiu o controlo da direção do partido, obtendo 37 dos 62 lugares do Conselho Cidadão, ficando Ínigo de Errejón com 23 e os Anticapilistas com dois.

A agência Efe afirma que "a vitória indiscutível do secretário-geral do Podemos tem tanta importância como a derrota de Ínigo Errejón", que após este congresso, fica "numa posição débil".

A nova direção do Podemos, cuja votação decorreu no Palácio Vistalegre, em Madrid, fica com 59,8% de conselheiros próximos de Iglesias e 37,1% de membros ligados a Errejón, sendo que, até aqui, as duas alas do Podemos estavam praticamente igualadas no Conselho Cidadão.

Neste órgão, que conta pela primeira vez com dois membros dos Anticapitalistas de Miguel Urban, entraram também este domingo um militar, da equipa de Pablo Iglesias, e um ator, da lista de Íñigo Errejon.

Entre os primeiros dez lugares no Conselho Cidadão, refere a Efe há apenas dois membros "errejonistas", em concreto o próprio Ínigo de Errejon e Rita Maestre, porta-voz da autarquia de Madrid, que ficou em 8º lugar.