Um morto e um outro pescador desaparecido são as primeiras vítimas da chegada da tempestade tropical Pabuk ao sul da Tailândia, onde milhares de pessoas, em plena época alta do verão, estão retidos em várias e conhecidas ilhas dedicadas ao turismo, com as Koh Tao, Phuket e Koh Phi Phi.

Responsáveis tailandeses dos serviços de segurança deram conta, esta sexta-feira, que o pescador morto estava a bordo de uma embarcação que se virou na costa da província de Pattani, colada ao distrito de Pak Panang, o que está a ser mais atingido pela tempestade. Um outro membro da tripulação do barco continua desaparecido e quatro foram resgatados.

A agência de notícias britânica Reuters revela que a chegada da Pabuk ao sul da Tailândia já derrubou árvores e levantou telhados de casas. As autoridades receiam ainda o risco de inundações, embora antevejam que a tempestade tropical venha a perder força.

Milhares encurralados

Quinta-feira, milhares de turistas deixaram as ilhas turísticas do sul da Tailândia, devido à aproximação da tempestade. Ainda assim, esta sexta-feira, já com rajadas de vento de 75 quilómetros por hora, muitos continuavam retidos nos hotéis. Sem ligações com o continente tailandês, já que as ligações aéreas e por barco foram suspensas.

É muito assustador estar aqui porque não sabemos o que vai acontecer e não há como sair", disse à cadeia norte-americana de comunicação CNN, a turista norte-americana Miranda Abidyer, de 26 anos, que está retida na ilha de Koh Samui.

Cerca das 12:45 locais (5:45, hora de Lisboa), o chefe do distrito de Koh Samui, Kittipop Roddon, disse à CNN por telefone, haver ainda cerca de 20.000 turistas hospedados na ilha, que é a segunda maior da Tailândia.

A ilha está agora totalmente isolada do continente, todos os tipos de transporte foram suspensos desde ontem", disse ele, acrescentando que há comida e suprimentos suficientes para suportar a tempestade.

Mesmo que as previsões dos serviços meteorológicos prevejam que a Pabuk venha a perder força, as autoridades receiam sobretudo pelas pessoas que estão em ilhas turísticas mais pequenas e afastadas do continente: será o caso dos 15 mil turistas que permanecem em Koh Phangan e os cerca de quatro mil em Koh Tao.