O cão Monty, de dez anos, e o seu dono, Carlos Fresco, sempre adoraram fazer caminhadas em colinas e montanhas. Quando o animal foi diagnosticado com cancro, pela segunda vez, Carlos soube que teria de se despedir do seu companheiro.

Eu sabia que Monty estava a morrer porque o cancro tinha regressado", expressou Carlos, citado pelo jornal Metro.

O cão tinha sido diagnosticado há 18 meses e respondeu bem à quimioterapia. No entanto, a leucemia regressou e fragilizou-o muito rapidamente. Nessa altura, o dono soube que precisava de proporcionar a Monty uma última caminhada à sua montanha preferida, no Parque Nacional Brecon Beacons, no sul do País de Gales.

Para subir até ao pico da montanha Pen y Fano, Carlos teve que empurrar o cão com um carrinho de mão. Durante o percurso, muitos visitantes ficaram comovidos e quiserem ajudar o cão a subir a montanha.

As pessoas, que eram estranhos, foram muito amáveis e perguntavam se podiam ajudar a empurrar Monty na sua última viagem.  Muitos até derramaram uma lágrima pelo nosso amigo de quatro patas', confessou o dono.

Monty acabou por morrer no dia 21 de Junho, mas o dono ficou com a sensação de dever cumprido.

O Monty faleceu, com dez anos de idade, aos pés da minha cama. O pequenote aguentou o Dia do Pai e agora está em paz. Gostaria de agradecer a todas as pessoas maravilhosas que conhecemos em Brecon pela sua gentileza e simpatia. Ele era verdadeiramente um rapaz especial. Boa noite pequeno amigo", agradeceu Carlos Fresco.

/ IC