A coordenadora humanitária da ONU para os territórios palestinianos fez esta quinta-feira um apelo à doação de 95 milhões de dólares (77,8 milhões de euros) para reconstruir a infraestrutura danificada nos recentes ataques de Israel à Faixa de Gaza.

Lynn Hastings, que realizou uma conferência de imprensa virtual na sede das Nações Unidas em Nova Iorque a partir de Jerusalém, precisou que o plano de emergência é para ser aplicado nos próximos três meses e que beneficiará um milhão de pessoas.

Na passada sexta-feira entrou em vigor um cessar-fogo entre o movimento islâmico Hamas, no poder em Gaza, e Israel, após 11 dias de um conflito que matou mais de 250 pessoas, incluindo 68 menores, a grande maioria palestinianos.

Grupos armados no enclave palestiniano lançaram milhares de ‘rockets’ sobre território israelita e as forças do Estado hebreu bombardearam intensamente a Faixa de Gaza.

Durante uma visita a Gaza, imediatamente após o cessar-fogo, Lynn Hastings encontrou-se com palestinianos que perderam as suas casas e meios de subsistência devido ao conflito.

Os combates destruíram milhares de habitações em Gaza e deixaram 800.000 pessoas sem acesso regular a água canalizada, tendo danificado 58 estabelecimentos escolares, seis hospitais e 11 centros de saúde, indicou.

Lancei hoje em Jerusalém um pedido de 95 milhões de dólares para dar resposta a estas necessidades, durante três meses. Um milhão de pessoas receberá ajuda para seguir em frente”, disse Hastings, citada pela agência noticiosa espanhola EFE.

A coordenadora humanitária da ONU sublinhou que, além da destruição material, uma das suas preocupações são os efeitos dos recorrentes conflitos armados na saúde mental dos palestinianos, especialmente dos menores.

A maior parte deste tipo de infraestruturas pode ser reparada, por isso o que preocupa a comunidade internacional é, em parte, o chamado impacto psicossocial destes conflitos que se repetem para o povo de Gaza e, em particular, para as crianças”, disse Lynn Hastings.

Este último conflito foi a quarta guerra entre Israel e o Hamas desde 2008.

. / CE